Archive for the ‘Internacional’ Category

Mundial com asterisco?

Depois de longos 6 meses de espera, Inter x Chivas começaram a decidir a grande final da Taça Libertadores da América. Jogando um futebol de gente grande, o Colorado venceu por 2×1 lá no México e agora joga por um empate no Gigante da Beira Rio. Vale lembrar que o time mexicano só está nessa final graças ao surto da gripe suina em 2009, que fez com que a equipe ganhasse uma vaga na edição deste ano do torneio.

Deixando o jogo de lado, a questão que eu quero tratar é a respeito da classificação do Inter para o Mundial de Clubes, independente da conquista do título na próxima semana. Isso se dá em função da vaga da Libertadores ser destinada a um país da América do Sul e o Chivas não tem esse pré-requisito.  Se o Inter for campeão, ótimo. Todo esse burburinho se cala e os gaúchos disputarão o Mundial pelos próprios méritos. Agora se perder, será o primeiro representante a disputar o torneio de verdade sem ter conquistado seu continente e toda a discussão em torno do tema virá à tona. Nem preciso comentar o quão lamentável eu acho essa situação. Agora eu pergunto: pra que deixar chegar a este ponto? Pra quem não sabe o motivo disso tudo, vou explicar em detalhes. 
Ao longo dos anos, a Libertadores sempre mudou sua fórmula de disputa pra se adaptar aos tempos. Lá nos anos 60, quando o Santos a conquistou por 2 vezes, apenas 9 times participavam e a fase final era disputada em uma série melhor de 3. Hoje em dia já são 38 participantes, que resulta numa queda de nível tremenda. O Brasil por exemplo, pode por até 6 equipes na disputa, enquanto a Venezuela – pasmem! – coloca 3 representantes. Sabendo dessa queda de nível, a Conmebol, especialista em fazer besteiras, decidiu convidar as ricas equipes mexicanas, que contam com jogadores bons e que poderiam fazer frente a brasileiros e argentinos. Mas eis que surgiu a dúvida: qual a vantagem que os times de lá levariam ao disputar o torneio sul-americano se não poderiam ter a vaga no Mundial? Isso mesmo, meus amigos: a vantagem seria financeira. 

Agora, pela segunda vez em 10 anos (quando se iniciou a participação dos mexicanos), eles chegam na final e correm o risco de colocar um asterisco no Mundial da Fifa. Na primeira, em 2001, o Boca não deu chance ao Cruz Azul e conquistou a Libertadores. Muito provavelmente o Inter também vencerá, mas e se perder? Será que vale a pena ser contestado até o fim de seus dias por um eventual título que não é merecido? Claro que pro torcedor vale e pro clube principalmente, até porque o prêmio é monstruoso. Em 2009, o campeão do mundo levou US$ 5 mi, enquanto o vice embolsou a bagatela de US$ 4 mi. Mas não tenho dúvidas que seria um tapa na cara de toda essa corja se o Inter eventualmente batesse no peito e não aceitasse disputar como vice. Com certeza não o farão, até porque não são loucos.

Enquanto isso, nós, meros torcedores, somos feitos de bobo dia após dia. Continuamos pagando ingressos caros, estacionamentos tão salgados quanto, não temos conforto nem segurança, vemos nossos melhores atletas indo embora pra jogar em mercados de qualidade duvidosa e mesmo assim somos passados pra trás de certa forma. O futebol, cujo saudosismo ficou num passado distante, teoricamente teria como objetivo servir como uma válvula de escape para o povo, uma forma de lazer. Infelizmente, os interesses comerciais do mundo moderno desvirtuam cada vez mais o esporte mais popular do planeta. Azar o nosso!

Siga-me no twitter: www.twitter.com/blogdobuja

Abraço!

Deu Inter!

Fim de jogo. O representante brasileiro na final da Libertadores é o Internacional. Na soma dos 2 jogos, mais que merecido. O São Paulo cai na semi muito por causa da covardia no jogo da semana passada em Porto Alegre. Bom, no geral, foi um boa partida no Morumbi, com o tricolor fazendo o que precisava, que era atacar. Já o colorado deu uma aula de como se joga fora de casa. Provou que é possível sim fazer uma marcação forte sem ser necessariamente defensivo.

– Como eu havia dito no post anterior, o São Paulo se utilizou bastante do lado esquerdo pra atacar, mas foi muito bem marcado pelo Inter. Pelo meio estava completamente congestionado, não sendo possível nenhuma jogada mais aguda. Na direita, com o Jean fora de posição, não dava pra ter lances de linha de fundo. Agora pergunto: será que a presença do Cicinho, mesmo em má fase, teria feito alguma diferença? Pois é, eu também acho que sim! Mas o JJ não quis…

– A partida que o São Paulo fez hoje serviu pra que eu tivesse uma certeza. Não é só Ricardo Gomes o problema. Sim, ele é fraco, mas a fase ruim tem o dedo dos jogadores. Digo isso porque não acho outra explicação plausível para a equipe fazer uma partida nojenta numa semana e na outra jogar como deveria jogar sempre. É impossível o treinador ter tanta influência dentro de um time pra mudar a postura de jogo pra jogo. E para os iludidos, não foi a torcida que fez o time dar carrinho, sujar o uniforme e lutar pelo resultado.

– Ricardo Gomes entrou com o time que ameaçava entrar e queimou minha língua. Foi bem e fez exatamente o que mandava o figurino conforme o tempo foi passando. Hoje não teve culpa em nada, mas talvez a derrota de quarta passada, que foi crucial, tenha tido seu dedo. Felizmente, amanhã deve deixar o São Paulo. Em um ano no clube, não conseguiu dar padrão de jogo e nem colocar pilha nos atletas. Segundo informações, há grandes chances de Sérgio Soares assumir o comando.  

– Tinga é um jogador excelente, mas deve ter perdido algum parafuso quando era menor. Pela segunda vez deixou o time do Inter na mão unicamente por falta de inteligência. Em 2006, foi expulso ao tirar a camisa comemorando um gol em plena final e isso quase custou o título. Hoje levou o vermelho após uma falta, mas o primeiro amarelo que recebeu foi por tentar retardar um tiro de meta de Rogério Ceni. Alguém precisa avisar a este cidadão que jogar com a menos nem sempre tem final feliz.

– Pela primeira vez desde que assumiu o gol tricolor eu vi Rogério Ceni chorando. Acredito que não foi somente pela tristeza da eliminação, mas sim porque ele não deve ter outra chance de levantar o caneco tão desejado pelos são paulinos. Pelo andar da carruagem, dificilmente o tricolor conquistará a vaga pra Libertadores do ano que vem e depois disso Rogério já deve estar muito próximo de pendurar as luvas.

– Chegou a hora da renovação no São Paulo. Hernanes, Richarlyson, Miranda, Dagoberto, Jorge Wagner, Jean e alguns outros deveriam ser negociados ou dispensados. Prestaram bons serviçõs, mas a renovação é sempre necessária e enquanto não houver uma limpeza, o time continuará com uma motivação menor do que deveria. Se eu fosse o presidente, faria a limpa agora, colocaria vários garotos da base pra jogar e ia montando até dezembro o time pra 2011, pra tentar algo diferente.

– À torcida do São Paulo, deixo meus parabéns. Mesmo com o futebol que vinha sendo apresentado e com o frio de rachar da capital paulista, colocou mais de 57 mil torcedores no Morumbi e não deixou de apoiar um minuto, mostrando porque é diferenciada quando se trata de Libertadores.

Ao Inter, muita sorte no fim dessa caminhada. E que ganhe a Libertadores, pra não ter um eventual título mundial contestado por ter sido vice da América.

Siga-me no twitter: www.twitter.com/blogdobuja

Abraço!

Como jogará o São Paulo?

Na noite de hoje, no estádio do Morumbi, não resta outra alternativa ao São Paulo que não seja a vitória, de preferência por 2 gols de diferença, pois 1×0 dá penaltis e qualquer outro placar só serve ao Inter. Ricardo Gomes faz mistério para anunciar quem e como jogará o time. São diversas possiblidades que só serão desvendadas momentos antes do apito inicial.

O técnico são paulino sinalizou com os treinos dessa semana que mandará a campo um 4-4-2 com menos velocidade e mais toque de bola, com Cléber Santana no lugar do contundido Richarlyson e Ricardo Oliveira na vaga de Marlos. Dessa forma, a equipe jogaria da forma tradicional, com 2 volantes e 2 meias, com o recuo de Fernandão. Porém o que me preocupa nesse esquema é a fragilidade defensiva do São Paulo jogando com 2 zagueiros e um lateral bastante ofensivo. Seria uma formação interessante, não fosse a necessidade da vitória sem ‘poder’ sofrer gols. Até porque tenho certeza que o Inter não fará a mesma retranca que enfrentou na semana passada, visto que um gol colorado praticamente decide o confronto.

Se eu fosse o técnico, armaria de forma diferente. A começar pelo esquema, que seria o 3-5-2. Apesar do maior número de zagueiros, não tem relação com a ofensividade do time. Bom, na zaga sairia jogando Alex Silva, Miranda e Xandão na sobra. Do lado esquerdo, Junior César com toda liberdade pra avançar. Já na lateral direita, Jean seria mantido mais recuado, apesar da péssima fase. Hernanes e Rodrigo Souto comporiam a dupla de volantes, enquanto um Fernandão mais recuado seria o responsável pela armação das jogadas. Na frente, Ricardo Oliveira e Dagoberto.

 Depois da escalação, há uma explicação. Não podendo tomar gols, é fundamental que se tenha uma solidez defensiva com jogadores que são da posição, sem improvisações. Na maioria das vezes que o São Paulo jogou assim com esses 3, o adversário não mexeu no placar. Com a ajuda de Jean pela direita, Rodrigo Souto sendo o primeiro volante marcador e Hernanes dando combate, o Inter já vai encontrar certa dificuldade pra chegar na cara do gol. Problema lá atrás solucionado, é hora de pensar em fazer os gols. Acredito que a grande chance será com as subidas de Junior César, pois assim o tricolor tem a opção dos cruzamentos e das jogadas trabalhadas por aquele setor, com Hernanes fazendo às vezes de meia quando a equipe tiver com a bola, além de um Dagoberto jogando mais aberto pela esquerda. Isso porque do lado direito Jean pouco avança e também não tem jogadores no setor que o ajudem. Porém, a chance de Celso Roth estar preparado pra isso é grande e caso não esteja dando certo, eu tiraria o Jean (independente de tempo de jogo) e colocaria o Marlos pelo lado direito, pegando o lado oposto da marcação Colorada. Nesse caso Hernanes teria que segurar um pouco mais suas subidas, pois a marcação ficaria vulnerável sem lateral marcador. E, apesar de ser contra apenas esse tipo de jogada, mais do que nunca as bolas paradas vão ser fundamentais pra tentar achar um gol.

Quanto ao que se cogita de entrar com 3 atacantes, acho muito improvável e desnecessário. A princípio, 1 gol leva a disputa pros penaltis, por isso não há motivos para desespero. Antes de querer partir pra cima do adversário, o São Paulo precisa começar a jogar melhor. Caso o jogo volte pro segundo tempo e a situação continuar como começou ou o Inter marcar um gol, aí sim é de se pensar em colocar um terceiro atacante, porque seriam necessários 2 ou 3 gols. Enfim, o São Paulo só passa do Inter se mudar a postura que teve no último jogo e buscar o resultado. Ficar tocando de lado chamando o adversário será fatal, já que do outro lado não tem jogador bobo. Espero sinceramente que o tricolor avance, mas na atual situação, além de melhorar o futebol, terá que contar com a ajuda da sorte também.

Siga-me no twitter: www.twitter.com/blogdobuja

Abraço

Nojento!

No Beira Rio, o Inter venceu o São Paulo por 1×0, resultado que manteve ambos na disputa. A decisão ficou para a próxima quinta feira, quando as equipes se enfrentam no Morumbi. Se não fosse pela postura apática do time paulista, que preocupa para a semana que vem, eu diria que o placar teria sido de bom tamanho. Já pelos lados colorados, em termos de vantagem, foi razoável. Se analisarmos de acordo com a partida, foi péssimo, pois poderia ter feito muito mais.

Resultado a parte, o que o São Paulo apresentou em Porto Alegre hoje foi o lixo do futebol. Atitude covarde, de time pequeno, completamente apático. Como resumiu Hernanes no intervalo, o tricolor chegou com uma ‘postura humilde’. Postura humilde com uma camisa com este peso? Que nada. Isso pra mim é covardia! Nenhuma equipe grande tem o direito de jogar dessa forma. E antes que os são paulinos venham cornetar, vou explicar detalhadamente uma coisa que eu sei que todos vocês estão sentindo.

No futebol, existem duas situações após uma derrota. O torcedor pode ficar triste ou pode ficar revoltado. O primeiro caso ocorre geralmente quando o time luta, insiste, marca, ataca e tem postura de quem quer vencer, mas o adversário acaba vencendo por detalhes. Faz parte do futebol. Já a segunda hipótese vem acompanhada de uma partida em que uma das agremiações opta por abdicar do jogo e apenas se defender, mesmo sendo grande. Assim, o adversário ataca, pressiona e vence a partida. Pode ser de 1×0 ou de 10×0. A sensação de impotência e de raiva terá as mesmas proporções. Duvida? Vou mostrar a diferença? São paulino, me responda uma pergunta. Em 2006, quando seu time perdeu a final da Libertadores pro Inter brigando até o último minuto, você se sentiu triste e orgulhoso ou revoltado e envergonhado? A resposta eu acho que foi dada por grande parte da torcida, que compareceu em peso no aeroporto pra aplaudir os jogadores derrotados. E no ano passado, sendo eliminado em casa pelo Cruzeiro dando 2 chutes ao gol nos 90 minutos precisando vencer a partida? Pois é…

 Acredito que tá na hora do torcedor do São Paulo parar de querer ficar um degrau acima dos demais e abrir o olho. O time tá piorando a cada dia que passa e em parte isso é reflexo de uma torcida acomodada que não cobra, não pressiona e acha que perder de 1×0 lá jogando essa bolinha tá ótimo. Não, não tá. Ou vocês vão esperar passar mais uma chance de conquistar a Libertadores pra reclamar a troca de técnico e começar tudo de novo? O São Paulo poderia ter saido pro jogo, marcado o Inter no seu campo de defesa e tentado achar um gol. Em 2006, uma das melhores partidas da minha vida, pois ambos buscaram o gol e não ficaram postados tentando evitá-los.

Apesar do futebol jogado, o tricolor tá mais vivo do que nunca e basta uma vitória por 2 gols de diferença pra se classificar direto. Em caso de repetição do placar, penaltis. E que o time tenha uma postura digna de sua camisa no próximo confronto, porque jogando covardemente, vai ver o Inter bailar no Morumbi.

Do outro lado estava o Inter, que merece os parabéns por buscar o gol incessantemente durante quase todo o jogo. Marcou sob pressão e evitou dar espaços pro contra ataque adversário. Bobeou em não ter marcado mais, pois teve chances para tal. Enfim, vem pra capital paulista na semana que vem pra acertar uma bola, já que eu não acredito que o São Paulo marque 3 gols caso tome 1.

Siga-me no twitter: www.twitter.com/blogdobuja

Abraço!